Arquivo para Internet

Grunhidos ou Antitwitter ou Uma crônica necessária.

Posted in Crônica with tags , , , , , on 29/08/2009 by caioguilherme

Grunhidos ou Antitwitter ou Uma crônica necessária.

29/08/2009.

 

O José Saramago chegou a dizer que o twitter era mais uma evidência de que a humanidade estava há alguns passos de voltar a grunhir. Ele estava bem certo e, na verdade, toda essa comunicação via internet ao mesmo tempo em que significa um avanço das possibilidades do homem, significa um retrocesso nas mesmas. Coisas da dialética universal, que acaba jogando no discernimento (e auto controle) das pessoas a grande chave para que o potencial da internet não acabe tendo mais efeitos prejudiciais do que benéficos. O que no meu caso, é algo difícil e complicado um pouco por remoer demais os percalços da vida e me deixar levar, em excesso, pela chateação de alguns momentos ruins.

Digo isso pelas dores de cabeça que essa mania minha de escrever e publicar todo tipo de coisa, e em qualquer lugar, quando estou triste ou chateado me traz. Alguns momentos ruins me fazem dizer aquilo que não deveria ser dito e é passageiro e depois pagar o preço (nada é mais justo do que pagar o preço, mas, também, nada é mais doloroso) quando, finalmente, estou com o espírito e as idéias no lugar, sentindo meus verdadeiros sentimentos. O duro, o duro mesmo, é que geralmente essas coisas são que nem xingar a quina da cama quando se bate o dedinho nela, balelas efêmeras e falsas, pois o que se sente, de verdade, em relação a cama, traduz-se no suspiro aliviado e alegre, solto num fim de um longo dia de trabalho e não no xingo em meio a uma infeliz batida de dedo.

Assim, concordo plenamente com essa visão negativa do Saramago sobre o twitter, pois  ele torna o escrever algo tão efêmero, mas tão efêmero, que a gente até esquece daquilo que foi escrito, o que as pessoas ofendidas e expostas não fazem (e com toda a razão).  Mas também não dá para colocar a culpa de todos os males nessas facilidades virtuais, pois elas nada mais fazem do que potencializar as próprias falhas pessoais, o que no meu caso foi um tanto quanto catastrófico. Paga-se pela boca e pelos erros, o que não é o fim do Mundo, mas também deixa mais chateado com a vida e consigo mesmo. Aprender a lição de não descontar nos outros as nossas frustrações e chateações, é algo bastante difícil!

Aqui deixo, então, um registro que não é grunhido, um registro que não é efêmero e passível de esquecimento, um registro que realmente se registre, de algo que é sentido, sempre, que deveria ser dito e lembrado naqueles momentos ruins:

 

Quando penso em você, logo lembro do seu brilho e do seu sorriso. Quase sempre fico um pouco melancólico com isso, como qualquer um quando vê algo realmente especial e bonito, tipo fogos de artifício…