Arquivo para Poema em Prosa

Poeira nos olhos.

Posted in Poema em Prosa with tags , , , , , , , on 04/01/2010 by caioguilherme

 

 Por: Caio Guilherme

Escrito em: 04/01/2010.

A poeira espalha-se por todos os cantos na espera de um sinal. Não, não um sinal. Uma resposta. Isso, uma resposta. Seria excelente. Coce os olhos. A resposta não virá nunca. Nunca, nunca diga nunca e escute o que eu digo, nunca escute ninguém. A poeira só se faz acumular caso a força da inércia não seja vencida. Força para vencer a falta de movimento. Inércia 1. Força para vencer o excesso de movimento, é a inércia 2. Caramba, nesse Mundo só tem coisa bastante errada, nisso 2010 vai ser igualizinho a 2009. Começou igual. Chuva, chuva, chuva. Não em Sta Catarina, dessa vez no Rio. Ainda bem, as loiras estarão a salvo. Que a usina seja tomada pelo barro e os prótons, nêutrons e que toda a radiação do Mundo varra todos daqui, rápida e eficazmente. Ou não. Há beleza. Sim, sim, há beleza no Mundo apesar da poeira. É só vencer a inércia e procurar. Talvez. Não se sabe. O que acho é que tem gente feia demais em todos os cantos e beijamos bocas que só a falta pode explicar. Quem se arranja, se arranja porque baixa o nível. Bastante. Tanto recusamos o mediano que a solidão nos faz abraçar o medíocre e isso no pior sentido da palavra, bem longe da significação tocquevilliana.

Eu falo por mim e por você porque no fundo no fundo, você sabe que estou certo. Não precisa fazer sentido, é só soar e parecer bom. Pomposamente, superficialmente. Vencer a inércia, tanto a 1 como a 2. Os músculos doem e ninguém quer trabalhar. Eu sei que eu não. Não dá para sentir vergonha duma coisa dessas, é que nem a poeira que acumula-se pelos cantos. Tão quieta e bela, bem melhor que a ausência de resposta ou significado.

Vai saber o que vem depois da barreira da inércia. O caminho é uma fronteira e a inércia é tentação. A poeira nos olhos, queima.

10 Poemas em Prosa (ou para ninguém reclamar que aqui não tem inovação.)

Posted in Poema em Prosa with tags , , , , , , , , , , , on 10/12/2009 by caioguilherme

10 Poemas em Prosa (ou para ninguém reclamar que aqui não tem inovação.)

Por: Caio Guilherme

I

Ontem um abraço suado. O ônibus nunca passa vazio. O celular castigando orelhas e ovinhos de codorna suando num boteco qualquer. Se eu fosse amigo do rei, compraria-me uma Pasárgada e não venderia bolovo.

II

Daria uma rosa para aquele dia. Do lado da minha casa queima uma fonte de luz colorida. Deixo essa cidade dizendo um nome, maldizendo um beijo e clamando por seu seio. Você me fecha a porta e me agarro num abraço perdido. Tudo cai de lado e digo “até amanhã”.

III

Agora cala e some. Ratinhos no escuro, tão bonitinhos, procurando um queijo. Num buraco da vida encontram um beijo. Lucilda gosta de goiabada e todos gostam de mim. Do que adianta as luzes apagadas se nada acende o meu bem querer. Fecha-se a porta e gatos emergem, mastigam e somem com os ratinhos lá do começo.

IV

 Tem-se uma nota esbranquiçada. Palavras de amor abandonadas na face da terra. Pela cusparada tomada dá-se a outra face do mundo. Perdão não se dá, pois é duro ter que pensar.

O duro, é trabalhar em silêncio. A face dessa Terra toda e tosca fede a ranho. o choro está ardendo.

V

Agora tem sabor de menta. Uns lábios de cigarro emprestado. As bitucas queimam a pele. Não mais beijar barangas. Orgulho ferido dói menos que pisão no pé. Sonho em desejo insatisfeito.

VI

Seu olhos brilham em fogos de artifício. Minha cidade era o caos. Sem você ela virou loucura. Saudades do chocolate que você mordeu. Saudades da sua mordida. Um cheiro e beijos nus na chuva. Te reencontrarei.

VII

Um cotovelo nunca é bonito. Ninguém se apaixona só pelos cotovelos. Quando se encontra um para beijar, belo, lindo e cheiroso, é puro milagre. Eis que você achou o amor verdadeiro.

VIII

Sua pança se encaixava na minha. Seu bumbum liso encaixava na minha mão, combinação perfeita. Bom de apertar. Alegria de tentação. Um bom dia era te encoxar enquanto nos beijávamos.

IX

Não existe verdade. Nem verdadeira paixão. Um gole de tequila, é um gole de tequila. E um beijo apaixonado é o melhor beijo do Mundo até o próximo beijo apaixonado. É que nem quando bebê anda, sorri e o cachorro trás uma bolinha atirada na boca. Tudo tem seu fim. Só resta a bituca. A bituca e fumaça.

O vento, no final das contas, leva tudo. Eu, você, a verdade e a ilusão.

X

Um girassol, o sol e nós dois a noite no terminal. Duro é embarcar para descer tão logo, já que sua mão é quente e o seu ombro gostoso. Melhor que isso, só se meus lábios tocassem os seus e você dissesse meu nome, sussurrasse em meus ouvidos. Ai, meu Deus, que me perco nesses olhos e não acho mais o caminho de casa.

Quando fizer um gol no futebol, vou correr em direção as câmeras e gritar seu nome. Se desse jeito não te ganhar, vai me restar virar um músico famoso e cantar uma música feita inspirada em você. Poesia é movimento, pena que eu canto tão mal…